Blog do Beto Kieling

Crônicas, dicas e etcétera e tal

Gerundismo cansa

gerundioUm comercial de TV, que vem sendo veiculado há algumas semanas, tira uma onda com um modismo linguístico chamado “gerundismo”. A propaganda é de uma cerveja, e o narrador, em off, diz mais ou menos isso: “O senhor, que vai estar azarando as gatinhas, vai estar levando pesco-tapas dos namorados das gatinhas, vai estar sacaneando os convidados-malas, vai estar entupindo os convidados com pão de alho…”

Certamente você já lembrou. A propaganda faz graça com um costume vocabular recente, que virou mania e agride os nossos ouvidos.

Essa irritante repetição de “vai estar” é o que ouvimos quando atendemos ligação de algum “call-center”, por exemplo. De imediato vem a pergunta: “O senhor pode estar respondendo algumas perguntas?”. Ou então: “Vou estar providenciando o seu pedido”. “Vou estar transferindo sua ligação…”.

Acredito que as pessoas não percebem que estão cometendo um vício de linguagem. Dias atrás, estive numa palestra onde a palestrante (no caso, uma professora) conseguiu irritar a platéia com a sistemática repetição de frases desse tipo. Acho até que algumas pessoas acreditam que o modismo torna a sua fala mais refinada, o que é um evidente equívoco.

A explicação mais provável é que isso veio a partir de uma tradução literal do inglês, onde esse tipo de expressão sempre existiu. Mas no português é novidade, um modismo que contaminou desde telefonistas e secretárias até altos executivos. E não se surpreenda ao entrar num táxi e ouvir: “O senhor vai estar me dizendo aonde devo ir e em qual rua vou estar entrando”. Salte do táxi, imediatamente.

  ************

ciclsta montanhaJeferson Furtado, artista que já tem diversas obras espalhadas pela cidade (entre elas aquela da rótula do Taffarel, lembra?), é também um ciclista fanático.

Neste momento ele está em viagem para o Pacífico, no litoral do Chile. Melhor esclarecendo. Ele está viajando para o Pacífico em sua bicicleta, o que torna a viagem particularmente inusitada e interessante.

Nessa viagem, Jeferson leva na bagagem as cinzas do pai, o saudoso Jairo Guarani Furtado, com destino à cidade argentina onde viveu Ernesto Guevara, o “Chê”, por quem Jairo tinha grande admiração. Desta vez, pois, Jeferson uniu a aventura e o gesto sentimental. Na volta, terá muito para nos contar. 

Anúncios

07/04/2013 - Posted by | Crônica Semanal

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: