Blog do Beto Kieling

Crônicas, dicas e etcétera e tal

De tudo um pouco

diaboEm entrevista esta semana, a ministra Cármen Lúcia, presidente do TSE, pronunciou uma frase que merece uma reflexão: “É temerário demonizar a prática da função pública”. Ela estava se referindo à idéia corrente hoje, no Brasil, no sentido de atribuir um caráter demoníaco às pessoas que exercem funções públicas.

Isso é mesmo perigoso. Estamos cansados de saber que a área pública é muito atraente para raposas, ratos, doninhas, serpentes e outros animais peçonhentos e perigosos, que vêem no dinheiro público a oportunidade de fazer fortuna.

Mas também é certo que não podemos condenar de forma prévia e rasteira aqueles que, eleitos ou não, fazem da função pública uma atividade digna e socialmente importante. Se continuarmos nesse discurso generalizante, é fácil perceber o que está por acontecer. Os honestos se recolherão às suas atividades particulares, e as hienas tomarão conta do galinheiro, digo, dos cofres públicos.

************

Demorou, mas está regularizada a situação dos médicos legistas em Santa Rosa, que atendem uma grande região. A novela é antiga. A existência de apenas um profissional da área obrigava alguns defuntos a peregrinar por outras cidades em busca do seu derradeiro atendimento. Um passeio sem nenhum atrativo, obviamente.

Respeito muito os legistas. Afinal, eles exercem uma atividade profissional que eu jamais teria condições de exercer. No entanto, temos que admitir que eles têm uma vantagem em relação a outras profissões. Eu nunca vi um legista levar serviço para casa após o expediente…    

************

Os nossos veranistas de fim de semana não vão à praia. Vão ao rio Uruguai para curtir a natureza, os pernilongos e a cerveja argentina. Nada de errado nisso. A praia de mar está tão distante, e relaxar é preciso.

Mas há uma novidade nesses passeios: a polícia rodoviária. Não me entenda mal. A polícia rodoviária não curte a cerveja argentina, e sim um aparelhinho moderno e certeiro chamado “bafômetro”. Isso tem modificado, de forma muito sensata, o comportamento dos frequentadores dos balneários da fronteira. Já se tornou corriqueiro as famílias escolherem o motorista que deverá permanecer sóbrio durante o churrasco, a fim de que o retorno não se transforme num problemão. Essa é a verdadeira malandragem do bem.

************

Tempos atrás, aqui neste espaço, comentávamos o péssimo hábito dos motoristas da cidade que desconhecem o uso das sinaleiras do próprio automóvel.

O fenômeno continua. Basta você prestar atenção ao transitar pelas ruas mais movimentadas. Alguns convertem à esquerda ou direita, nas esquinas, sem qualquer aviso. Outros saem do leito da rua para estacionar, também sem sinalizar.

Acho que as escolas de direção deveriam dedicar um capítulo especial ao uso das sinalizações de advertência. Nossos motoristas parecem não saber qual o motivo da existência daquele cabinho metálico ao lado da direção do seu carro.

Isso lembra a história do sujeito que bateu o veículo na lateral do carro à sua frente. O policial acorreu e pediu explicações. O sujeito, muito sério, ponderou:

“Aconteceu o seguinte, Sr. policial. A senhora do carro à minha frente fazia sinal de que iria dobrar à esquerda. E não é que dobrou mesmo?!”.

 

Anúncios

08/02/2013 Posted by | Crônica Semanal | Deixe um comentário