Blog do Beto Kieling

Crônicas, dicas e etcétera e tal

104 vezes

santamairaNão há como fugir do tema. Parece que a tragédia se apossou dos nossos pensamentos desde a madrugada do último domingo. De tal modo nos envolvemos que passamos a sofrer todos juntos, como se a dor tivesse um poder sobrenatural de alcançar a todos, em qualquer lugar e ao mesmo tempo.

Pois cada um daqueles jovens universitários mortos no incêndio em Santa Maria tem uma história particular, comovente e profundamente triste. Talvez porque não entendemos, e não aceitamos, seja a juventude interrompida. Nada explica e nada consola a interrupção de vidas tão tenras.  

Pessoalmente, fiquei perplexo, abobalhado, com a história de um telefone celular onde constavam 104 ligações não atendidas. Na identificação daquela insistente chamada estava escrito: “mãe”. Somente isso. Nem precisava mais. Ficou o registro insuportável da busca pelo filho. 104 tentativas. 104 silêncios. A busca desesperada madrugada adentro, a apreensão e o medo. Por mais que nos esforcemos, fica impossível imaginar o descompasso daquele coração de mãe esperando o retorno da ligação. O retorno que não veio, e jamais virá.

Essa jornada de tormento, vivida por aquela mulher na madrugada de domingo, é a mais difícil, a mais dura espera que o ser humano pode experimentar. Insistiu 104 vezes. Você já imaginou o que significa fazer 104 chamadas para alguém que você ama, e não obter resposta? A voz que ela queria ouvir já tinha se calado. Decididamente, acho que nós jamais conseguiremos imaginar a imensidão da sua dor.

***********

A dor dos pais de tantos jovens só pode ser descrita em verso, como fez Chico Buarque na inesquecível canção “Pedaço de Mim”:

“Oh, pedaço de mim! Oh, metade arrancada de mim! Leva o vulto teu, que a saudade é o revés de um parto, a saudade é arrumar o quarto do filho que já morreu…”

Anúncios

04/02/2013 Posted by | Crônica Semanal | Deixe um comentário